Campanha de apoio a pessoas afectadas pela pandemia

Começou na segunda-feira (dia 23) e prolonga-se por uma semana, até domingo (29), uma campanha de angariação de fundos para apoio a pessoas em “situação de emergência social” devido à pandemia, nomeadamente homossexuais e transgénero, trabalhadores do sexo, ciganos, migrantes e moradores de bairros periféricos.

A iniciativa chama-se “Continuamos a Marchar” e é promovida pela comissão organizadora da Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa (que este ano não saiu à rua em fins de Junho, como é habitual, devido às restrições determinadas pelas autoridades face à covid-19). O dinheiro que teria sido utilizado na organização da Marcha foi canalizado para a recém-criada Rede de Apoio LGBTI+, mas são necessários mais fundos, lê-se num comunicado.

Nos últimos meses realizaram-se outras três campanhas de angariação de fundos: 24 a 30 de Agosto, 21 a 27 de Setembro e 19 a 25 de Outubro, todas com autorização do Ministério da Administração Interna. De acordo com os organizadores tem sido dado um “apoio crucial” às populações destinatárias, o que “frequentemente” substitui a intervenção de “entidades oficiais que, por falta de meios ou de capacidade, não conseguem dar resposta, pelo menos, em tempo útil“.

O número de pedidos de apoio que nos chegam e a urgência dos mesmos, implicam intervenções da nossa parte que apenas são possíveis com a disponibilização de recursos financeiros“, justificam.

Os interessados podem contribuir para a actual campanha de angariação de fundos através de transferência bancária (IBAN PT50 0036 0063 9910 0084 3818 1) ou do serviço MB Way (96 789 29 24). “Todos os valores doados serão alocados à Rede de Apoio LGBTI+ e a comunidades minoritárias“, garante a comissão organizadora (que inclui associações e colectivos da sociedade civil, como a ILGA Portugal, a Panteras Rosa, a Opus Diversidades e o GAT, entre outros). 

Até ao momento, foram aplicados “mais de cinco mil euros” na ajuda a “dezenas de pessoas em situação de sem-abrigo, de fome, de impossibilidade do pagamento de contas necessárias para a normal sobrevivência, com problemas médicos, com falta de medicamentos e com necessidade de apoio psicológico.” Em alguns casos, houve apoio financeiro e noutros foi feito “encaminhamento para outras entidades“.

Fora deste período oficial de angariação de fundos, a iniciativa “Continuamos a Marchar” também recebe donativos através de uma plataforma de crowdfunding na internet.

%d bloggers like this: